pentaho_analyticsA Pentaho acaba de lançar a versão mais recente de sua plataforma analítica de dados, a Pentaho Business Analytics 5.0. A nova versão contempla uma série de ajustes ao console, interface de usuário, e também aos algoritmos de análises de dados. Os administradores da plataforma agora contam com um novo painel de controle para configuração e gerenciamento da segurança aos servidores, enquanto executivos e gerentes podem acessar interfaces personalizadas que apresentam seus dados mais valiosos de formas mais detalhadas.

As plataformas de Business Analytics da Pentaho sempre enfatizaram a análise e visualização de dados em vários formatos, do Hadoop e Cassandra para HBase e MongoDB, e esta última versão não é diferente. As últimas integrações da plataforma incluem Amazon Redshift e Cloudera Impala; novas certificações incluem Intel, Hortonworks, MapR e DataStax.

O software da Pentaho também enfatiza a combinação e velocidade de dados o mais próximo possível da fonte. “A combinação permite a integração de dados do usuário para criar uma transformação capaz de fornecer dados diretamente para outras ferramentas de analytics da Pentaho (e até mesmo outras ferramentas fora da Pentaho)”, escreveu Matt Casters, chefe de integração de dados da Pentaho, em seu blog. “Tradicionalmente, os dados são entregues a essas ferramentas através de um banco de dados relacional”.

A Pentaho é uma empresa engajada. Além de lançar novas versões de seu software de análise de dados, ela também tem se movimentado em busca de novas parcerias de negócios. Em agosto, uniu-se à Splunk na implementação da Pentaho Business Analytics for Splunk Enterprise, que executa dados de máquina reunidos pela Splunk através de ferramentas de análise da Pentaho. A plataforma também combina dados de máquina com NoSQL, Apache Hadoop e conjuntos de dados de aplicativos empresariais. No final de 2012, a Pentaho colaborou com a Cisco em uma plataforma de análise de dados construída sobre a Unified Computing System da Cisco.

Os executivos da Pentaho também acreditam firmemente no valor das tecnologias open source. “Outra coisa que é satisfatória sobre o trabalho com tecnologias de código aberto é a possibilidade de ter um contato muito mais direto entre os desenvolvedores de um determinado software que trabalham com o código e as pessoas que detêm o caso de uso que justificará a existência do software”, revelou Doug Moran, co-fundador da Pentaho e gerente de projetos de Big Data, em uma entrevista no ano passado. “Em uma empresa proprietária, existem camadas de gerentes de contas e de suporte que tentam garantir que os engenheiros não dialoguem diretamente com o cliente”, concluiu.

Fonte: Slashdot